Atualização de referencias pra gente asquerosa

Witzel não é bobo. Tudo pra ele é palanque. Asqueroso, foi o cara escroto que chegou de helicoptero pra comemorar, saltitando e socando o ar, o assassinato de um rapaz que havia feito de reféns os passageiros de um ônibus.

Com a Libertadores não foi diferente. Fez da vitoria rubro-negra um evento para jogar holofotes sobre si. O palanque? A capital do estado que “governa”. O Flamengo, aquele da diretoria que não foi punida pela morte de 10 meninos no Ninho do Urubu, aceitou ser a escada desse palanque. Imagino qual foi o toma lá da cá que se negociou.

Reparou? O rapaz que sequestrou o ônibus, ele comemorou como um idiota a sua policia tê-lo matado. O Flamengo que negligenciou à morte 10 de seus jovens talentos e cuja diretoria não foi punida, esse ele não apenas desfilou junto, mas se ajoelhou aos seus pés.

Ah, mas era o Gabigol, o craque, o jogador. Ele não se ajoelhou pra diretoria.

Amore, pra diretoria ele deve ter é feito sabe lá que concessão, que promessa, que pre$$$ente. E não pense que pro Gabigol foi diferente.

Ontem, o video em que Witzel se ajoelha em campo viralizou (preciso dizer asqueroso outra vez?). O ângulo e o instante capturado, faziam parecer desconforto no jogador, que, aparentemente se afastou constrangido ou, talvez, enojado.

Em segundos o twitter não era outro assunto. Gabigol lacrou. Gabigol humilhou. Gabigol desprezou. Gabigol herói.

Fiquei aguardando quanto tempo até o herói de papel se desfazer na chuva.

Não precisei esperar muito.

Ah, mas a pressão da imprensa. Ah, mas a pressão da diretoria. Ah, mas a pressão…dos privilegios que posso acumular disso — deve ter pensado Gabigol.

Gabigol pode até ter sido forçado a posar de revestimento dourado pro tolete humano que o povo fluminense com seu dedo de Midas invertido colocou no poder. Mas, precisava posar assim cheio de dente?

10 flamenguistas não comemoraram

Em 2019, 10 meninos morreram em um incêndio por negligência do Flamengo.

Foram mortos 10 jovens. Eram os filhos de 10 famílias. Morreram 10 talentos promissores do esporte nacional. O Ninho do Urubu queimou à morte 10 sonhos, ao menos.

As reações? Pessoas declarando à exaustão seus lutos e indignação virtual em rede social. Chocadas com a tragédia, repercutiam o coração rubro negro dilacerado em suas timelines. Manifestavam solidariedade às familias. E… defendiam o Flamengo.

Em um processo de racionalização insustentavel, imprensa, diretoria do time, jogadores, torcedores (do mais variado espectro sociocultural) não pareciam ter dificuldade em separar o que seria o Flamengo “diretoria” do Flamengo produto vendido nas embalagens time, “nação”, emoção, ídolos, craques, objetos, vestimentas, hinos, fofocas, ideal de consumo etc.

Cumprido o papel social esperado de individuos, grupos e instituições, a imprensa e as redes socias não demoraram a se acalmar. Assim, dez mortes ficaram para trás sem que a tal diretoria tenha sido punida e sem que nenhuma reparação mais profunda e significativa tivesse sido observada.

O esquecimento. Ou talvez, uma memoria sem afeto de uma tragédia espetacular e distante.

Hoje, olhando as imagens de uma Presidente Vargas tomada de rubro negro em festa, é dificil não pensar onde estava toda essa gente pressionando o sistema por uma reparação. Se essa multidão tivesse de fato se indignado e usado essa energia para declarar sua repulsa a uma estrutura que se sustenta da exploração da carência econômica e emocional de seres humanos, será que o evento trágico poderia ter iniciado um processo de redefinição das regras de um jogo perverso que naturaliza a exploração da miséria nas suas mais variadas formas?

Porque eu já tô de saco cheio

Alô, marciano. Aqui quem fala é da Terra. Não, 👉😄👈 fake news . Aqui quem fala é do Brasil, mais especificamente do Rio de Janeiro. Já fui o cara que dava porrada 3×4 sem despentear, mas só quando alguém bota a mãe no meio, e olhe lá.

No mais, não faço força nem pra virar de lado na esteira. Talvez se o flamengo jogar. Talvez se o boi tolo desfilar. Talvez se der praia. Talvez.

O quê? Venderam a Petrobrás pra Petrobrás? Ah… deixa.

O quê? Tão matando lideranças da floresta? Matando criança por lá? Ah… que tragedia, mas quanto foi o jogo mesmo?

O quê? Mais de 1 bilhão de pessoas esmagada na miséria e 50% do país sobrevive com 413 reais? O ministro da economia disse que o pobre não sabe investir os recursos que tem? Ah… mas num é? Pobre é foda, no lugar de comer quer parcelar o… o quê mesmo que não tem credito? Ah…

O quê? Censura? Nah… exagero, mimimi dos esquerda. Que eu comprei meu Romero Brito e ninguém me impediu. É que eles confundem essas putaria com arte. Arte é Monalisa. Arte é o que tem no Louvre. Eu, hein, arte brasileira. Arte é cinema gospel do Edir Macedo financiado pela Rouanet, aí sim. Arte é Picasso. Picasso. Ih, só pensa besteira. Aff. To falando, esquerda só pensa putaria. Mas já ouviu aquela do … ele tinha um…👉 🤣 👈

O quê? Mais de 600 dias sem resposta pelo assassinato de Marielle? Envolveram o nome do presidente no crime? Ele usou o governo aparelhado pra impedir a investigação? As provas foram parar nas mãos dele e dos filhos? O autor dos disparos é vizinho dele? É da milicia? A milicia, que o filho dele empregava? Ih, gente, vê maldade em tudo. E o filho do Lula? E o pedalinho? E o peteeeee?

O quê? Liberou agrotóxicos proibidos no mundo? Que bobagem, vocês ficam torcendo contra, aí dá cancer mesmo.

O quê? A Amazonia ardeu em chamas? O presidente minimizou? O quê? Ele enfraqueceu fiscalização, autorizou ações criminosas? O destamento cresceu? Ah… mas essa época do ano sempre pega fogo por lá, e tem mais, coisa de ONG isso, e, e, e … e é isso mesmo, os índios tb queimam floresta, tá?

O quê? O presidente mentiu no twitter mais uma vez? Disse que 3 empresas sairam da argentina pra vir pro Rio? Pro Brasil? Era mentira? Ah, ele tava brincando. Vocês, tb, o cara não pode brincar. E ele já apagou. O twitter.

O quê? O Brasil de Bolsonaro é alinhado com teocracias monarquistas assassinas? Melhor amigo do Mohammed bin Salman? Cara, todo mundo, especialmente as mulheres, dariam tudo por uma noite com o principe. O Bozo deu. Vc tb daria, serio… para de mimimi.

O quê? Teve um derramamento de óleo na costa brasileira e o governo federal não fez nada e ainda apareceu na live do presidente pra dizer que peixe é esperto? Ah, mas o óleo é da venezuela. Navio grego é o escambau. O óleo é comunista. Para de reclamar que isso é o comunismo querendo nos derrubar. E pensa positivo. Faz um theta healing que passa. Arminha tb ajuda.

O quê? O condominio milicias da barra, avenida lucio costa 3200, fica ali, na praia? Pertinho dos pontos de onibus que vem da oeste, norte e sul? Logo ali do BRT e metro? Tem estacao de bike compartilhada na porta? Tem patinete?! Facinho de chegar? Na frente-frente da praia? Dá até pra ver o flamengo na led do quiosque em frente? Ah, espera o boi tolo desfilar por lá que a gente vai fazer vigilia na porta pra protestar.

O quê? E se a vigilia de Curitiba se plantasse no milicias da barra? Será?

Tragedinha anunciada

Opa. Boa noite. A imagem é pessima, estilo olha o ovni, acredita em mim. Mas é a que posso fazer de noite, pelo celular, da varanda do prédio.

No ponto vermelho tem um farol piscando e um alarme disparado. É um carro, talvez um caminhão, pelo barulho absurdo que fez. O motorista perdeu o controle EM UMA RETA sem obstáculos e, na curva, foi parar dentro do canteiro remanescente da obra estupida de redesenho de avenida.

Parabens, Crivella. Parabéns, ativistas do Rio de Janeiro. Parabens, acadêmicos estudiosos. O prefeito está de parabéns pela (des)graça da obra. Os acadêmicos e ativistas estão de parabens pela inoperancia e omissão. Foram ativados. Preferiram calar. Me orientaram a ir SOZINHA na prefeitura. Fui, deu em nada, claro.

Lembro que na epoca poder publico e universidade, junto com uns ativistas bem intencionados faziam uma intervenção urbana mal comunicada e que não gerou nenhum resultado no bairro da tijuca. Parabens mesmo.

Também lembro que, em um evento sobre segurança do pedestre e mobilidade ativa — own — conversei com uma mocinha da prefeitura, responsável por esse tipo de questão. Me olhou como se fosse louca. Disse que eu não devia estar entendendo a obra. Já dei os parabéns?

Só pra recordar o que já sabemos e que já descrevi em post anterior, justamente sobre essa obra. Na longa, perfeita e livre reta, motoristas conduzindo carros, que já vem aceleradissimos da praia, ganham velocidades impressionantes.

Pedestres NÃO tem como atravessar sem risco de morte. NÃO tem redutor de velocidade. NÃO tem sinal. NÃO tem faixa de travessia. Nem vou comentar sobre acessibilidade para crianças, idosos, cadeirantes, carro de bebê, porque NÃO TEM. Facilidade e segurança para ciclistas? NÃO tem.

Tem uma calcadinha mequetrefe. TODA a iluminação é para os carros. Mas os postes ocupam lindamente a calcadinha mequetrefe. Ah, foda-se o pedestre.

Como pedestre me sinto ameaçada caminhando por essa calçada. É nítida sensação de que, no retão acelerado, um carro pode facilmente subir a calçada e levar o pedestre inconveniente pra outra vida — pra ver se para de atrapalhar nessa; já vai tarde.

Hoje não aconteceu. A essa hora da madrugada não há pedestres. A verdade é que depois dessa linda obra, vejo menos pedestres e ciclistas. Coisa que no bairro da Barra já é meio raro. Caminhar e pedalar é ato heroico, coisa de pobre ou de uber bike ou de maluco beleza ou de ciclochato, ou de velho ou de tudo isso junto. Eu mesma já não uso esse acesso. Embora seja o mais óbvio, é o mais mortal.

A policia chegou. Tô tão de saco cheio. Agora chegou a ambulância também.

Problema evitavel. Crime urbano.
Carro em alta velocidade na reta sobre a calçada e invade canteiro de mangue.